Testemunho de Ivete Torcato

Olá!
O meu nome é Ivete Torcato e venho por este meio dar o meu testemunho em como a hipnoterapia é muito importante no tratamento do cancro.
Tenho uma filha que se chama Eduarda e tinha 4 anos quando lhe foi diagnosticado um Neuroblastoma abdominal. Foi a notícia mais devastadora que alguma vez recebemos. Foram 18 meses de tratamentos, que consistiu em 8 ciclo de quimioterapia, duas operações,uma delas em Lyon (França), radioterapia e medicação. Depois desse tempo, foi o alívio e a alegria de ter superado tudo com sucesso.
Foi quando ela já estava fora de tratamento que conheci o Sr. Manuel Barbosa, que agora sei que foi Deus que o colocou no meu caminho porque ainda iria precisar muito dele.
Passados 9 meses de felicidade, descobrimos que a Eduarda tinha reincidido e que iríamos voltar ao mesmo. Novo choque… 2ª vez… será que desta nos iríamos safar? Eu acreditei sempre que sim e foi aqui que falei com a Sr. Manuel, já que ele me tinha explicado o que era a hipnoterapia e em como ela podia ajudar a Eduarda. O problema era a Eduarda ser muito nova (tinha 6 anos), mas acabou por não ser problema porque eu expliquei-lhe como as coisas se iam passar e como seria importante para ela ficar boa. A total confiança que ela tem para comigo é tal que aceitou sem questionar.
Como era a segunda vez, eu pude ver com perfeita clareza a diferença que é fazer quimioterapia com ajuda da hipnoterapia. Enquanto da 1ª vez, sempre que fazia os ciclos deixava de comer (perdeu muito peso), vomitava muito e ficou muito fragilizada. Da 2ª vez comia pouco (nunca foi de comer muito) mas não deixava de comer totalmente e quase nunca vomitava. Mas o mais importante foi a ajuda preciosa que o Sr. Manuel lhe deu quando ela teve de fazer auto-transplante de medula óssea. Eu tinha alguma noção que fazer o auto-transplante não seria fácil, mas nunca pensei… os efeitos secundários são terríveis, mas ela suportou tudo como uma valente.
Todo o trabalho que o Sr. Manuel fez com a Eduarda foi espantoso, e tive prova disso na primeira consulta que ela teve após auto-transplante. A médica da Eduarda chega olha muito fixamente para ela e diz-me que está muito espantada com ela. De seguida explica-me que já mandou muitos meninos para transplante e que nunca tinha visto nenhum como ela, pois eles vem tão em baixo, tão desfigurados e quase irreconhecíveis e que ela estava ali como se não tivesse feito nada. E ainda me disse mais. Que tinha sido muito ambiciosa com a Eduarda a esta altura do campeonato em a ter mandado para transplante porque o risco de correr mal era muito grande. Foi depois desta confidencia que lhe disse que a Eduarda tinha feito hipnoterapia e ela então admitiu que foi isso que a salvou. Fiquei tão contente, que quero que todos saibam o quanto estou feliz, portanto este é o meu testemunho.
A Eduarda, agora, tem 8 anos e está fora de tratamento desde Outubro (há 4 meses) e agora sei que vai recuperar totalmente, demore o tempo que demorar.
E ao Sr. Manuel só tenho a dizer: Muito Obrigada por tudo, foi e é muito importante nas nossas vidas e estaremos-lhe sempre gratos. E sei que posso contar consigo e com toda a sua sabedoria sempre.
Obrigada do coração.

Ivete Torcato
Fátima, 11 de Fevereiro de 2015

Comments are closed.